sábado, 17 de Março de 2012

Uma bênção para o lado

Hoje fui abençoada por uma criança.
Digo bem.
Fui abençoada POR uma criança.
Num gesto absolutamente invulgar para uma menina de 4 anos, quando me baixei para a olhar nos olhos e enquanto a mãe estava a explicar quem eu era (que éramos muito amigas etc.), ela não fez mais nada: ergueu a mão na direcção da minha testa (eu até pensei que tinha uma folha ou um bicho no cabelo) e então, naturalmente, com o seu polegar pequenino, fez-me o sinal da cruz.
Simples, não é? Não.
Nunca na minha vida vi uma criança (tão pequena) a abençoar.
Ainda por cima uma criança que acompanhei desde que nasceu e que tem atrás de si uma história de doença gravíssima e uma cura maravilhosa.
Foi como se Deus, através dela, me falasse e me dissesse: Vai! Faz-te ao largo! Sem Medo.
Foi hoje. Nunca o esquecerei.
Marcou a minha vida. Para sempre.
Que Deus a abençoe, Martinha, porque eu sou indigna de o fazer.
Por Maria João da Câmara

quarta-feira, 24 de Junho de 2009

Amanhã, dia 25 de Junho, faço a operação para tirar o catéter - este tubinho que entra debaixo do meu braço direito para dentro da minha veia. Andei com ele quase dois terços da minha vida! Acho que nem sei não ter um tubo pendurado. Aqui está uma última fotografia com o meu querido "catéta".

---

Tomorrow I'll undergo surgery to take off the catheter - this little plastic tube that goes in under my right arm into my vein. I've spent almost two thirds of my life with it! I think I will not know how to go around without this tube hanging down. Here is the latest photo with my dear "cateta".


Até fui aos anos da minha Avó! --- I even went to my Grandmother's birthday!


Com os meus amigos a rezarem por mim foi muito mais fácil. Aqui estou com os meus manos sempre a fazerem-me mais feliz! --- With my friends praying for me, it was much easier. Here I am with my brothers and sisters always making me happy!

Como as coisas mudaram! --- How things have changed!

quarta-feira, 17 de Junho de 2009

17 de Junho

Tanto tempo sem notícias no Blog para vir finalmente dar uma notícia muito boa. Esta semana fiz o medulograma e a punção lombar com anestesia geral e acordei muito bem-disposta. Ficámos à espera dos resultados: não encontraram nenhuma célula cancerígena!

Agora falta a última operação, também com anestesia geral para tirar o meu querido cateter, por onde foi possível ministrar tantos tratamentos sem dor!

Morfina, quimioterapia, radioterapia, dores nos ossos, vómitos, febres, fungos, cansaço...são para já coisas do passado mas sublinham que não há felicidade sem cruz.

Os meus Pais dizem que é com grande alegria e enorme humildade que recebem mais este maravilhoso dom de Deus! Porque estes mimos não são coisa que se mereça mas apenas se receba na simplicidade e no silêncio de quem se expõe à graça de Deus como as flores se expõem às gotas benéficas e renovadoras da chuva.

Hoje, de maneira muito especial e com tanto carinho quero:

Lembrar os que batalharam comigo mas que foram levados para o Céu mais cedo.

Lembrar os que continuam duros e penosos tratamentos, os que têm recaídas, os que estão exaustos e sem força para confiar.

Lembrar os que riram, choraram, gargalharam comigo ao longo destes dois anos.

Lembrar os que em silêncio sempre estiveram comigo.

Lembrar com indizível gratidão os que rezaram por mim e dizer-vos que os terei sempre no meu coração, nas minha orações. Uma palavra muito amiga para todos os Padres que por mim ofereceram Missas, para os consagrados e as freiras de clausura...

Lembrar as minhas irmãs e os meus irmãos que fizeram tantos sacrifícios por mim, sempre com um sorriso. Deixaram de ter férias ao sol ou programas mais divertidos. É verdade que por isso acabámos a descobrir o 'Verão Diferente' na Serra da Estrela com programas próprios para famílias numerosas em que fizemos mais de 120 novos amigos e que se tornou num 'must' (www.veraodiferente.org/).

Lembrar os meus avós, meus tios e primos que tanto se angustiaram e tanta companhia me fizeram para que eu nunca me sentisse sozinha e triste.

Lembrar cada um que visitou ou escreveu neste blog e que viveram esta doença e este desafio como se fosse o seu próprio. Sempre gostei de ouvir os meus pais a lerem-me as notas de ternura aqui deixadas e que me encheram a alma.

Lembrar os médicos, enfermeiras, auxiliares, educadoras, voluntários, capelães e todos quantos no IPO privaram comigo nesta cruzada que Deus nos pediu para fazer. Foram o porto seguro nos meandros da doença e no turbilhão do imprevisível e não se pouparam a esforços com o seu profissionalismo e carinho para aliviar o meu dia-a-dia. Com que alívio falava a minha Mãe às 4 da manhã para o Sétimo Andar para 'tirar teimas' sobre algum meu sintoma estranho e do lado de lá ouvia uma voz amiga a aconselhar no que fazer; e com que alívio íamos internar nem que fosse a meio da noite para que eu pudesse ter a ajuda necessária para ultrapassar cada crise!

Lembrar todos os cientistas, investigadores, trabalhadores que através do seu esforço conseguiram que na minha geração haja casos de vitória sobre o cancro.

...

Enfim, esta aventura ainda não acabou totalmente. Durante os próximos seis meses farei análises mensais que depois se começarão a espaçar.

Agora vou gozar esta 'aberta' com a mesma serenidade com que recebi as primeiras notícias do cancro. Sempre estive nas mãos de Deus, de quem me sei loucamente amada e, «cheia de Deus, não temo o que virá, pois venha o que vier, nunca será maior do que a minha alma». O mundo sempre foi meu, que sou pequenina mas «preciosa aos olhos de Deus» e eu sei que «tudo posso n'Aquele que me fortalece». Entretanto vou cantar ao Senhor pelas maravilhas que Ele operou.

Hei-de pedir aos meus Pais que ponham aqui uma fotografia minha para verem os meus caracóis. Já não sou a carequinha cá em casa!

Com um grande beijinho

sempre vossa

Marta

---

June 17th

I have been away for such a long time, but here I am finally and with very good news. On Tuesday, I underwent a bone marrow exam and lumbar punction under general anesthesia and woke up from it in good spirits. We waited for the results: no cancer cell was found!

I now have to undergo another general anesthesia surgery to remove my dear catheter through which it was possible to administer so many treatments without suffering.

Morphine, chemotherapy, radiotherapy, pain in the bones, vomiting, fevers, fungi, exhaustion...are for now things of the past but they underline the fact that there is no happiness without the cross.

My Parents say that it is with great joy and profoundly humbled that they receive this further marvelous gift from God! For this kind of pampering is not something one can deserve, but rather receive in the simplicity and silence of someone who exposes oneself to the grace of God just as the flowers expose themselves to the beneficial and renewing drops of rain.

Today, in a particular way and with great tenderness I would like to:

Remember those who fought alongside me but were taken to heaven earlier.

Remember those who go on with painful and difficult treatments, those who have relapses, those who are exhausted and with no strength to trust and hope.

Remember those who laughed and cried with me during the past two years.

Remember those who, in silence, were always with me.

Remember with unspeakable gratitude those who prayed for me: I shall always keep you in my heart and prayers. A particular word to so many Priests who offered Mass for me, to the consecrated, to cloistered nuns...

Remember my siblings who made so many sacrifices for me, always with a smile. Among them, were giving up sunny vacations or other fun outings. True: because of this, we ended up discovering the "Different Summer" in Serra da Estrela: a great scoop for large families where we made about 120 new friends and which has become a 'must'(www.veraodiferente.org/).

Remember my grandparents, uncles and cousins who suffered so much for me and who constantly kept me company so I would never feel lonely or sad.

Remember each one who visited or wrote in this blog and who lived this disease as their own.

Remember doctors, nurses, auxiliary personnel, teachers, voluntaries, chaplains and all who crossed my path at the Oncology Hospital and helped me through this crusade God asked us to make. They were our haven in the labyrinth of the disease and the tornado of the unpredictabilities and who, with their professionalism and care, did not spare any effort to make my every day a little more bearable. With what relief did my Mother call the Hospital at 4 in the morning to get a reading on any strange symptom of mine only to hear on the line a friendly voice who would coach her through what to do. And with what relief did we check into the hospital at whatever hour of night knowing that I would receive all the help needed to go through each crisis!

Remember all the scientists, researchers, workers who with their efforts contributed for so many victories over cancer in my generation.

...

Well, this adventure is not completely over. For the next six months I will have monthly blood tests which after that will progressively be done further apart. For now, I am going to enjoy this 'break' with the same serenity with which I received the first news of cancer. I have always been in God's hands: I know He loves me unconditionally. «Full of God, I fear not what is to come, for come what may, it will never be bigger than my soul» (in the words of our poet Fernando Pessoa). The world has always been mine anyway, for, despite being tiny, I am "precious in God’s eyes" and I "can do all things in Him who strengthens me". In the meantime I shall sing to the Lord for the marvels He operated in me.

I'll ask my parents to post a photograph of me with my curly hair - soon.

All my love,

always yours

Marta